Showcooking Slow Food Porto

07 Jul 2019
17:30 - 17:30
Cozinha Mais

Showcooking Slow Food Porto

Slow Food Porto – Um futuro quase presente
O movimento “Slow Food Porto” nasceu em Dezembro de 2014 e visa promover uma alimentação consciente e responsável, com base na defesa de princípios agrícolas de biodiversidade e sustentabilidade e de um alimento BOM, LIMPO e JUSTO. Pretende ser uma referência na protecção da herança gastronómica portuense, contribuindo para o seu reconhecimento nacional e internacional.
 Objetivos do movimento Slow Food Porto:
– Proteção do património gastronómico da região do Porto através da defesa e promoção dos saberes tradicionais e da cultura portuense.
– Promoção de uma alimentação consciente e responsável tendo por base a educação do paladar.
– Defesa de princípios agrícolas de biodiversidade e sustentabilidade
“A realidade dos dias de hoje, no que toca ao setor agroalimentar e silvo pastoril português, vai dando claros sinais de que, inequivocamente, as tendências para os próximos anos, algumas delas pré-anunciadas, emergirão ainda antes do previsto. Será uma realidade cada vez mais evidente ter-se de conviver com uma certa bipolaridade das cadeias de valor agroalimentar.
Não só em Portugal, mas também em todo o mundo, sobressairá o eixo da naturalidade, com base nos conceitos que determinarão os caminhos futuros ao nível da sociologia do consumo – produtos oriundos da Agricultura Tradicional, Agricultura Biológica, Biodinâmica, Sintrópica à própria Agroecologia. Por outro lado, o eixo da tecnologia agroalimentar, da manipulação genética, da alimentação clonada, no fundo, de uma cadeia de valor laboratorial. As geografias onde ocorrerão os crescimentos populacionais previstos para as próximas décadas, acabarão por determinar em outras latitudes, as mais ocidentais e ditas evoluídas, os novos drives da alimentação. Paradoxalmente e após diversos avisos, a disponibilidade atual aos recursos naturais, será inferior e acabarão por impedir a manutenção dos atuais padrões de consumo e desperdício agroalimentar e florestal. Para o bem da Humanidade, os consumos per capita agroalimentares, irão reduzir-se. O clima, a origem dos ingredientes, a mesa e a espiritualidade agroalimentar, formarão uma equação de equilíbrios, que a nova era agroalimentar e silvo pastoril, encarregar-se-á de nos forçar à adaptação.
Rui Rosa Dias
Professor Universitário
Presidente da Associação Slow Food Porto
Membro do Conselho Consultivo Portugal Expo Dubai 2020″

Público: Geral
20 participantes